Nódulos no Fígado

Nódulos no Fígado

nodulo figadoO fígado é um órgão responsável por uma série de funções fundamentais para o organismo:

  • Produção e secreção da bile, que auxilia na digestão dos alimentos;
  • Armazenamento de glicose, a qual é liberada para a circulação quando outras partes do organismo necessitam de energia;
  • Produção de proteínas
  • Desintoxicação do organismo
  • Sintetização de colesterol
  • Filtro de micro-organismos, segurando aqueles que transmitem infecções
  • Transformação de amônia em ureia (sem isso, a amônia passa para a circulação e atinge o cérebro, gerando alterações neuropsíquicas)

Normalmente, o diagnóstico de nódulos no fígado é incidental, ocorrendo a partir de ultrassonografias destinadas a outros órgãos e problemas. Na maioria dos casos, os nódulos são benignos, necessitando apenas de acompanhamento médico regular. Nos casos de nódulos malignos, no entanto, é necessário removê-los cirurgicamente.

Nódulos benignos
  • Hemangioma: é o mais comum, e é formado por vasos sanguíneos que se juntam de maneira desorganizada. Normalmente não apresenta sintomas, e não possui potencial de marginalização.
  • Hiperplasia Nodular Focal (HNF): Ocorre a partir da multiplicação das células do fígado, e também não tem potencial de marginalização.
  • Adenoma: uma das causas mais comuns desse tipo de nódulo são os anticoncepcionais orais. É o único nódulo benigno com potencial de marginalização; por isso, quando têm mais de 5 cm, aconselha-se remoção cirúrgica.
Nódulos malignos
  • Hepatocarcinoma: desenvolve-se a partir do adenoma. Este nódulo tem evolução rápida, podendo dobrar de tamanho em cerca de 4 meses. Nos casos mais avançados, o procedimento indicado é o transplante hepático.
  • Colangiocarcinoma: menos frequente, afeta as vias biliares.
  • Angiossarcoma: ataca as células responsáveis pelo filtro de bactérias e moléculas.

No Comments Yet.

Deixe um comentário