(41) 3264-6719   -   faleconosco@medicodofigado.com.br

cirurgia na vesícula biliarA vesícula biliar tem como função armazenar e concentrar a bile produzida pelo fígado, a qual é liberada pela vesícula no intestino delgado, auxiliando na digestão de gorduras. Entre as substâncias que constituem a bile estão a água, o colesterol, a bilirrubina, os sais biliares e outra série de substâncias.

Quando há uma quantidade muito elevada de colesterol ou bilirrubina na constituição da bile, ocorre a formação de cálculos na vesícula.

Fatores de risco

Veja algumas das causas mais comuns do cálculo biliar:

  • É mais comum em mulheres em idade fértil (o estrogênio facilita a formação das pedras) e pessoas com mais de 40 anos;
  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • A perda rápida de peso faz com que o fígado secrete uma quantidade elevada de colesterol na bile, podendo levar ao cálculo da vesícula biliar;
  • Pacientes que passaram por cirurgias gástricas.

Sintomas

Muitas vezes não são apresentados sintomas. Por outro lado, quando uma pedra obstrui os ductos, podem ocorrer dores similares à cólica. Além disso, pode haver intolerância a alimentos gordurosos em função do cálculo renal.

Tratamento: cirurgia na vesícula biliar

O tratamento indicado é a retirada da vesícula biliar. A técnica mais utilizada para isso é a colicistectomia laparoscópica. Veja o passo a passo da cirurgia:

  • É feita uma incisão no umbigo, por onde o cirurgião introduz uma agulha para encher a região abdominal com um gás especial. Isso dará mais espaço para que os procedimentos cirúrgicos sejam realizados.
  • Um tubo metálico contendo um laparoscópio é introduzido, para que o cirurgião possa visualizar o interior da região abdominal.
  • São feitas mais três pequenas incisões para a introdução das pinças com as quais a cirurgia propriamente dita é realizada.
  • Com essas pinças, a vesícula biliar é retirada e a bile passa a fluir diretamente do fígado para o intestino delgado.

No dia seguinte à cirurgia o paciente já pode voltar para casa, e cerca de uma semana depois pode retomar suas atividades normalmente.

Depois da cirurgia, o ducto chamado colédoco, responsável por transportar a bile da vesícula para o intestino delgado, tende a dilatar. Assim, ele passa a armazenar a bile, e o paciente pode levar uma vida normal e se alimentar da mesma forma que antes.

Dr. João Nicoluzzi

Médico especialista em cirurgias e transplantes de fígado, pâncreas e vias biliares.

Deixe uma resposta

Fechar Menu